Notícias

Notícias e novidades em tecnologica e recrutamento

19 de janeiro de 2018 - Computer World

Mobinteg quer mais pessoas, mercados, projectos e investimento

A startup portuguesa Mobinteg continua a trabalhar no desenvolvimento e suporte de produtos, em particular no mercado norte-americano. A empresa tem cerca de cinco anos e quer crescer “em todos os aspectos” e lançou recentemente a app ‘Tá Pedido.

A empresa tem como objectivos continuar a crescer em todos os aspectos: “em equipa, em mercados, em projectos, em investimento”, refere Fernando Pinto, fundador da Mobinteg.

A startup está “activamente à procura de novos colaboradores, sobretudo na área de desenvolvimento backend e mobile. Neste momento já somos mais de 20 na família Mobinteg”, diz Fernando Pinto.

Para Fernando Pinto, o negócio da Mobinteg é sustentável por assentar em três pilares chave. A empresa tem “serviços de desenvolvimento de software que são os que suportam o desenvolvimento de produtos”, conta também com o apoio de “soluções inovadoras e com um elevado grau de inovação e complexidade” e continua a posicionar-se como uma empresa B2B.

No futuro, “queremos continuar a expandir-nos, não só em Portugal, mas no resto do mundo. Neste momento, mais de 80% da nossa facturação é externa”. A empresa actua “além de Portugal, nos Estados Unidos, Itália, Brasil e Espanha, com a nossa app de smart tourism (a Smiity), e várias mobiShout! que desenvolvemos para publicações de referência nacionais e internacionais, entre outras soluções para empresas e marcas específicas”.

O principal foco da empresa são as soluções móveis. “O nome Mobinteg vem de mobile integrators e da vontade de disponibilizar os serviços empresariais nesta nova geração de dispositivos móveis”, explica Fernando Pinto que considera que a empresa “está em fase de crescimento”, com investigação em Portugal e ajuda no negócio nos EUA, em Itália, em Espanha e, mais recentemente, na Holanda.

Daqui em diante, “pretendemos não só focar-nos nos produtos, mas também continuar o caminho que tem...

Consultar artigo completo em Computer World